quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A abertura de um eixo transitável de norte a sul de Portugal pela sua espinha dorsal que fosse equidistante entre Espanha e o litoral, feitas por altura do fontismo (Fontes Pereira de Melo), com intenções estratégicas militares, mas também pela primeira vez com intenções de minimizar os efeitos da interioridade.
Esta fonte é do tempo da abertura desse caminho, pensado para os cavalos e para as diligências, com a mestria de conseguir atravessar as serras do norte, pelos vales e meias encostas, sem nunca descer nem subir muito para não cansar os animais, e ainda apetrechada com uma rede de "estações de serviço" como esta.

2 comentários:

João Catarino disse...

Obrigado Annie pelo comentário que aqui tinha deixado mas que foi removido porque quis corrigir uma palavra no texto deste post e consequentemente o seu comentário fugiu!

Hellag disse...

O seu caderno é fabuloso...dar a conhecer os seus desenhos, a sua forma de "fotografar" as coisas da vida. Nunca tinha visto um caderno de viagens...os textos também são excelentemente oportunos...vim até aqui por saltitar de blogue em blogue..."isto" da net tem destas coisas...a descoberta...vou voltar!