sábado, 28 de março de 2009

O Louro não se vê mas ouve-se a caneta a riscar rápido enquanto testava as potencialidades de um novo material que conduzia com a destreza de um piloto ultra experimentado, à esquerda Salavisa não resiste ao fernezim gráfico que se apoderou daquela mesa e à direita o mais "doentinho" de todos cadernistas, Richard Câmara directamente de Madrid para o "sinal verde" no Bairro Alto.

2 comentários:

Simonetti disse...

No bairro.. bolas não estava longe... a ver se para a próxima nos encontramos :D

Alyne disse...

Já há algum tempo não vinha cá. Refrescante como sempre, incitador de exercício diário.
Espero conhecê-lo em pessoa um dia destes.
Num dia que já saiba surfar minimamente.
Abraço