segunda-feira, 26 de abril de 2010

Enquanto hoje as Mega empresas de comunicação disputam entre si números em Megas que traduzem velocidades Mega abstractas que ninguém na realidade sabe avaliar ou comparar, o grande desafio dos construtores de automóveis do princípio até meados do século XX era não só bater records de velocidade como fabricar máquinas fiáveis que pudessem ganhar provas, que em alguns casos eram autênticas maratonas kilométricas.
O desenvolvimento de um país avaliava-se também por aí, pelo domínio da velocidade que neste caso media-se lado a lado, curva a curva até ao xadrês da bandeira que cortava a meta.
Antes dos grandes "sponsors" tomarem conta, cada país tinha as suas escudarias e as suas cores.
Ir às corridas era também torcer por um país, as máquinas foram até ao pós guerra um excelente veículo de propaganda nacionalista.
O Reino Unido pintou a Jaguar de verde, a Porsche e a Auto Union alemã eram prata, a Ferrari e a Alfa Romeu inevitavelmente vermelha e a França tão turquesa como este Bugatti.

4 comentários:

Monica Cid disse...

Olá João!! :) ó tempo... :)
Tenho visitado menos a net e os blogs mas isto tem o seu lado bom ;) fico com mais água na boca ;) e revejo os desenhos com uma lufada de ar fresco :) MEUS DEUSES, os teus desenhos deixam-me sem palavras!!!!!!!!!!!! São divinais!!!!

Tudo a correr BEM! Até breve ;)

AC disse...

Muito bom desenho!
Dá mesmo a sensação de velocidade.

josé louro disse...

Lindo!

Magic Moments disse...

Pois estamos inteiramente de acordo. Esta coisa do dinheiro, poder, influencia e condução de bezerros, Nós todos... está mesmo a tirar a graça toda do que É, pois perde-se a essência, já pouca coisa sabe a alguma coisa. ISto tudo por causa da imagem, do que parece que É! Nisso cada vez estás mais imbativel. Estes bonecos são demais.
Verdadeiramente genuino!
Mais uma vez PARABÉNS!!!!!