segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Na tropa não passei de cabo, fiz a macaca, fui feijão verde de infantaria, ainda assim arrisquei...
Puxei por esta desgraça de galões e subi as escadas que davam acesso ao clube de Sargentos no último andar de um prédio antigo da Rua de Alfama junto à paragem do eléctrico.
Entrei todo emproado tal como me lembro em tempos ter andado na parada, passo decidido como se fosse da casa, não olhei muito em volta não fossem desconfiar não ser sargento e muito menos, não pertencer ao clube.
Senti-me observado como quem é o alvo duma repreensão pela falta de atavio numa revista às tropas, olharam-me dos pés à cabeça mas fui bem atendido e melhor servido.
Num clube de sargentos dificilmente se comeria mal, a posta de bacalhau assada na brasa era alta espessa, saía às lascas no meio de batatinhas a murro, alho esmagado e muito azeite, o café é na salinha ao lado junto de troféus e galhardetes, ou então na varandinha com vista para alfama.
Afinal o clube é aberto a pessoas como eu sem patente, mas tal como em todos os clubes aos quais não se pertence, somos sempre estranhos.

8 comentários:

Richard Câmara disse...

Que tal se fizermos o próximo almoço desenhado com o Louro e o Salavisa, nesse belo clube de apetitosa ementa e ainda melhor vista? Aponta-me isso na tua "agenda" para Dezembro, s.f.f...

João Catarino disse...

Tá combinado!
O meu amigo continua um bom garfo não perde uma! Já lhe está a crescer água na boca!

Eduardo Salavisa disse...

Está agendado.

Sofia disse...

Só mesmo o João para se meter nestas aventuras ahahah ;)

zamotanaiv disse...

Hehe! durante nove meses almocei quase todos os dias nesse belo clube.
Com preço muito em conta, uma cozinha do melhor e uma varanda fabulosa para um café e um cigarro final. Por vezes um moscatel para acompanhar o Jesus (empregado de mesa) Que enche bem o copo.

Geraldes Lino disse...

Desculpem a indiscrição, não pertenço a esta história (por acaso conheço o Richard Câmara, mas só isso) e fiquei cheio de curiosidade por tentar uma incursão nesse clube de sargentos - embora não pertença à classe, hélas - atraído pela sugestiva descrição do ilustrador e bloguista. Tenciono tentar uma incursão, mesmo arrostando com o tiroteio de olhares das tropas locais...
GL

João Catarino disse...

Nada como falar em bons petiscos para logo atrair bons comentários!
Caro Geraldes Lino está sempre convidado só temos a agradecer ao Zamotanaiv que é um grande habituê e foi quem me revelou este cantinho.
E a Sofia também se quiser juntar-se ao grupo de sargentos almoçaristas é muito bem vinda!

zamotanaiv disse...

Pois foi, já nem me lembrava... Bons almoços! Agora já paro pouco por essas bandas...