segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Na volta da ida ao "cavalinho" enquanto a maré o permite, o passeio continua lindo, mas o forte Mil Regos ao longe perdeu a expressão, face a uma das maiores aberrações construídas no nosso litoral.
Autarcas, empreiteiros, patos bravos, engenheiros sempre, sempre unidos pela destruição ambiental, pela edificação monumental, betonificação global.
Ericeira é já a Albufeira do Oeste e não vai ficar por aqui, quer mais e mais alcatrão, estaleiros de construção, lotes de habitação, rotundas de circunvalação semáfros e placas de sinalização, bancos, hipermercados porta sim, porta não!
O meu amigo Pedro Leitão faria disto uma bela canção de intervenção!

7 comentários:

e.s. disse...

Esqueceste-te dos arquitectos. Só alguns.

Genine disse...

beautiful

João Catarino disse...

Pois é, quis poupar os arquitectos mas fui um pouco ingénuo!

hfm disse...

Pobre Ericeira que já só se descobre no mar e numa ou noutra viela ou ainda num empedrado e nos amigos que a não deixam!

bodiley disse...

bonitos diseños saludos

Alyne disse...

Além do desenho alusivo bom, a tua métrica versal já é quase uma canção. :)

abraço

josé louro disse...

É de fugir... que é o que eu faço.
Gosto muito da Ericeira...ao longe.