terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Sim este sou eu! Foi o melhor que o Eliseu (segundo a contar da esquerda no desenho anterior) conseguiu depois de lhe ter passado o meu caderno com a caneta de pincel e ficar bem quietinho a posar para ele. Uma simples paragem para matar a sede e comer uma conserva numa cantina de beira da estrada valeu inesperadamente um dos momentos mais expontâneos e interessantes do documentário de Angola à Contra Costa.

6 comentários:

nelson paciencia disse...

Saiste favorecido João, com uma farta cabeleira... Belo desenho este o do Eliseu, e geniais estas estórias.

João Catarino disse...

Continuas um paciente seguidor, obrigado Nelson abraços.

joana gama disse...

Excelente :)

Baleia disse...

lindo! deu para perceber no documentário q tinha sido um belo momento :)

bjnhs!!

Filipe Almeida disse...

Sem palavras... depois de tentar imaginar a beleza do momento!

Rui Machado disse...

O Eliseu é um Caravaggio dos tempos modernos!!!
Abr